Nossa História

A Escola Irmã Catarina começou a funcionar no dia 04/07/1938, em um pequeno sobrado situado na Rua Pandiá Calógeras, 210, no bairro da Aclimação, sob a responsabilidade e direção da jovem professora Edith Dias Menezes de Azevedo.

No primeiro ano de exercício, tinha um total de sete alunos, distribuídos nas classes de Jardim da Infância e Primário. Ao final do primeiro ano, em decorrência de sua particular e criteriosa programação e técnicas pedagógicas invejáveis e, principalmente, devido à seriedade e à atitude responsável com que a professora Edith desenvolveu o seu trabalho, o número de alunos cresceu para oitenta. No ano seguinte a Escola já contava com mais de cem alunos e a Direção viu-se obrigada a ampliar as instalações; a mudança deu-se para uma excelente casa, no n° 244 da mesma rua.

A “Escolinha da Tia Edith” , como a chamavam, foi crescendo, não no aspecto físico, mas no muito que conseguia realizar no campo psicológico. Contava com a Pré-Escola e o Primário, com classes de 1° ao 4° ano e de Admissão ao Ginásio. E o Externato ia crescendo em fama, nos dois aspectos: ”Formativo” e “Informativo”.

Em 1960, a professora Edith participou de um Curso ministrado pelo Pde. PIERRE FAURE, vindo de Paris, sobre o método Montessori de ensino e sentiu que a proposta vinha de encontro a uma necessidade íntima de mudança, aliada a um clima geral de transformação na área educacional.

O sistema montessoriano foi criado pela médica-psiquiatra Dra.Maria Montessori, formada pela Universidade de Roma em 1894.e propõe a livre manifestação das potencialidades infantis. Ao educador, cabe orientar a criança e não reprimi-la, nada deve ser imposto, mas, sim, conquistado.

Encantada com o novo método e com a grande visão e prática de 22 anos de educadora, a professora Edith aproveitou a oportunidade para uma renovação educacional na sua escola.

Posteriormente, amparada pela Lei de Diretrizes e Bases, a 4024, de 1961, que dava autonomia para as escolas adotarem novas técnicas, métodos ou sistemas de educação, a professora Edith adotou a Filosofia, Pedagogia, Metodologia e Psicologia ditadas pela genial educadora Dra.Maria Montessori.

Aprofundando-se no método, transmitia a sua equipe técnica tudo o que aprendia, no sentido de formar um corpo docente que sempre procurou se aprofundar e se atualizar. Como não havia, na época, material adequado no mercado brasileiro, a Escola teve de improvisar, reproduzindo da melhor maneira possível o material necessário.

Em 1962, inaugurou-se a 1° unidade no ABC, hoje localizada na rua Piauí, 1086.

Em 1963, devido à necessidade de espaço, a Escola mudou-se para a Rua Castro Alves, também na Aclimação e em 1970, passou a contar com duas Unidades: uma na Rua Castro Alves, 744, onde funcionava o Primário, e a outra, no n° 774 da mesma rua, onde funcionava a Pré-Escola.

Em 1972, começou a funcionar na Rua Loureiro da Cruz, no mesmo bairro, a Unidade de Classes especiais, com crianças carentes de uma atenção especial, crianças treináveis, educáveis, autistas, cujo resultado foi constatado pelos neurologistas e psicólogos que nos enviaram seus clientes para o trabalho psicopedagógico.

A procura pela Escola, em busca do novo método, foi enorme; o número de alunos aumentou e houve necessidade de uma expansão que se deu em 1973 com a inauguração da Unidade na Rua Saturno, 41, com classes de 1ª a 4ª séries, enquanto a Pré- Escola permaneceu na Rua Castro Alves.

Os alunos ficaram entusiasmados em participar do ponto mais importante do Sistema Montessori: Liberdade responsável - formação do “Homem Consciente”, desenvolveram-se intelectualmente, experimentando e vivenciando cada situação que lhes era apresentada.

Com a Lei 5692 de 1971, as escolas foram autorizadas a ampliarem suas séries até o ginásio. Inauguramos uma nova Unidade na Rua Júpiter, 54, com a introdução, em 1972, de classes de 5ª e 6ª séries.

Entre 1970 e 1975, Tia Edith fez quatro viagens à Europa onde estagiou em 22 escolas montessorianas, distribuídas pela França, Holanda, Inglaterra, Itália, Alemanha, Suíça, Espanha e Portugal. Na primeira viagem, em 1970, participou das comemorações do centenário do nascimento da Dra. Maria Montessori e na França teve como cicerone o Padre Pierre Faure, o introdutor do sistema montessoriano no Brasil.

Em 1976, a Escola contava com quatro unidades: na Rua Urano, nº. 9 funcionava o Maternal, Jardins I e II; na Rua Saturno, nº. 41, do Pré à 3ª.série; na Rua Júpiter, nº. 54, da 4ª. a 8ª. série e na Rua Loureiro da Cruz,nº. 180 , as Classes Especiais.

No decorrer de mais de cinco décadas, as mudanças de casas fizeram-se necessárias devido ao aumento do número de alunos ou a problemas ligados aos aluguéis das casas, já que a Escola não possui prédio próprio. Houve sempre, também, uma grande preocupação por parte da direção da Escola em oferecer aos seus alunos o melhor ambiente possível, o mais adequado à faixa etária, o mais aconchegante.

O ano de 1988 foi muito importante para a “Escola Irmã Catarina”. Nesse ano foi comemorado o seu cinqüentenário. A programação constou de uma Missa de Ação de Graças, realizada no dia 01/07/88 na Catedral da Sé e no dia 2/07 realizou-se no Auditório Elis Regina, no Anhembi, o evento cultural que contou com apresentações de ballet, coral, violinos e, por fim, a retrospectiva em vídeo dos 50 anos da Escola “Irmã Catarina” e o coquetel de confraternização.

Foram momentos de grande emoção, quando Tia Edith recordou o passado, o início da Escola, os sucessos, as dificuldades; sentiu orgulho de rever ex-alunos, naquele momento homens feitos, exercendo os mais variados cargos e profissões.

Ainda com referência ao cinqüentenário, foi editado, por um grupo de mães, um livreto que conta a história da Escola, desde a sua fundação em 1938. O livreto contém fotos de diversas épocas, de alunos e professores, depoimentos de alunos e ex-alunos, professores e ex- professores, além de testemunhos muito gratificantes de ex-alunos que retornaram mais tarde à Escola como professores.

Muitos dos nossos ex-alunos tornaram-se famosos como João Osvaldo Leiva, Luiz Carlos Miéle, Jairo Arco e Flexa e uma quantidade imensa de anônimos que não se tornaram famosos, mas se tornaram brilhantes nas carreiras que escolheram e lembram com muito carinho da “Escola da Tia Edith”. Muitos desses ex-alunos colocaram seus filhos na Escola e alguns, os netos, portanto há casos de três gerações, numa única família, que fizeram parte da nossa Escola.

Atualmente, com 75 anos de existência, a Escola “Irmã Catarina” é um Centro de Divulgação do Sistema Montessori para o Brasil todo, oferecendo Cursos para formação de professores sobre o método.

A 28 de agosto de 2005, ocorreu o falecimento da nossa querida Tia Edith. Graças a seu empenho e dedicação à Escola Irmã Catarina, seus professores e direção continuam perpetuando o seu trabalho na formação integral da criança.

Tia Edith continuará sempre presente em nossos corações, dando-nos força para mantermos vivo o seu ideal.


“Manter vivo o entusiasmo da criança é o segredo para a real orientação, e não será uma tarefa difícil, desde que a atitude do adulto em relação aos atos da criança sejam de respeito, calma e espera, e que ela seja deixada livre nos seus movimentos e experiências.”

(Maria Montessori - 1951)

____________________

 

Edith Dias Menezes de Azevedo

"A Dra. Maria Montessori procurou, pela observação, desenvolver um sistema educacional que atendesse às necessidades universais do ser humano. Suas conclusões, sua orientação atingem o educando em todas as faixas etárias, olhando-o como um ser em formação, suscetível à modificações e aprimoramentos em todos os aspectos. Maria Montessori objetivou seu trabalho em formar o “homem consciente”, desenvolvendo a auto-disciplina, o espírito crítico e, através de experiências e vivências de situações-problema, desenvolver o pensamento criador e o raciocínio lógico.
Experienciando-se, a criança vem a conhecer seu próprio potencial e limitações, melhorando sua auto-disciplina. Agindo e participando, desenvolverá habilidades de resolver situações com criatividade. Como atingir isto? Com o ambiente preparado, onde está incluída uma peça importantíssima: - O EDUCADOR. Falar do educador montessoriano é mais complexo ainda. Vamos observá-lo no seu desempenho e sentir o quanto ele está fiel à Filosofia Montessoriana, à proposta educacional desta Escola, a Escola 'Irmã Catarina'”.

(Tia Edith)